sexta-feira, 18 de setembro de 2020

Estudo mostra material especial que pode ser usado em construções em Marte.



A NASA planeja levar humanos novamente à Lua com o programa Artemis a partir de 2024, que irá contribuir para a realização de futuras visitas a Marte. E Elon Musk é um entusiasta da ideia de povoar Marte. Para que tudo isso ocorra, será necessária uma estadia mais longa no Planeta Vermelho. Assim, Javier Fernandez, pesquisador da Universidade de Tecnologia e Design de Singapura, desenvolveu uma tecnologia à base de quitina que poderia ser utilizada para produzir ferramentas e abrigos marcianos.
Fernandez e seus colegas utilizaram substâncias químicas simples, mas que seriam adequadas para a construção das primeiras instalações marcianas com pouquíssima energia e sem equipamentos complexos. Com a quitosana, substância derivada de quitina, e um mineral semelhante ao solo marciano, eles desenvolveram um material e o utilizaram para construir um primeiro modelo de habitat em Marte. A equipe demonstrou que o material pode ser usado para criar ferramentas e abrigos resistentes, e os autores acreditam que essa seja a chave para o desenvolvimento dos humanos como uma espécie interplanetária.

O material desenvolvido pode ser fabricado com facilidade e não utiliza a quitina por acaso: este é um dos polímeros orgânicos mais presentes em nosso planeta; a quitina é produzida e metabolizada por diversos organismos, e compõe a parede celular de fungos além de formar também os exoesqueletos de crustáceos e insetos. Então, como está tão presente, é bastante possível que a quitina faça parte de ecossistemas artificiais.

O material inspirado na quitina foi criado originalmente para ecossistemas em ambientes urbanos, e tem potencial grande com recursos tão escassos como é o caso de planetas ou satélites sem vida. Assim, essa tecnologia é eficiente, poderia ser utilizada com requisitos simples de produção e seria bastante versátil em Marte. Por fim, Fernandez ressalta que, ao contrário da percepção geral, os materiais sustentáveis não substituem polímeros sintéticos; eles são muito mais uma tecnologia que poderá representar avanços que não seriam possíveis com os componentes sintéticos.


O estudo foi publicado na revista Plos One.

Fonte: Canaltech / Yahoo

segunda-feira, 7 de setembro de 2020

DESTROY ALL HUMANS!

 Neste remake do jogo de 2005 você pode incorporar alienígenas "malignos".

 Aterrorize as pessoas da Terra dos anos 1950 na pele do alienígena maligno Crypto-137. Colete DNA e derrube o governo dos EUA nesse remake fiel da lendária invasão alienígena. Aniquile humanos insignificantes usando uma excêntrica seleção de armas e habilidades psíquicas alienígenas. Deixe as cidades em ruínas com o seu Disco Voador. Dê um grande pisão na humanidade!



Fonte: Epicgames / Voxel

terça-feira, 1 de setembro de 2020

Drops Ufológico Nº 1 – Outubro de 1954 (RS).



Ovnis sobre a Base Aérea de Gravataí (RS) 

No dia 24 de outubro de 1954, um domingo, no período da tarde, entre 13:00 e 16:30, vários militares testemunharam a presença de objetos voadores não identificados pairando sobre a Base Aérea de Gravataí (*)
(*)Atualmente Base Aérea de Canoas. 



Osório (RS) 

Posteriormente ao caso do dia 24, no dia seguinte, segunda-feira, dia 25, após um piloto civil comunicar o avistamento de objetos não identificados voando sobre Osório, um piloto decolou da base com a missão de localizar os mesmos, entretanto não teve sucesso. 



Vôo de Treinamento 

Dias antes, no dia 12 do mesmo mês, um piloto de caça já havia se deparado com um ovni quando realizava um vôo de treinamento noturno na região entre São Leopoldo e Novo Hamburgo.




domingo, 16 de agosto de 2020

Pentágono lançará força-tarefa para investigar OVNIs

O Pentágono está formando uma nova força-tarefa para investigar OVNIs que foram observados por aeronaves militares dos EUA, de acordo com dois oficiais da defesa.

O vice-secretário de Defesa David Norquist ajudará a supervisionar a força-tarefa, que deve ser oficialmente anunciada nos próximos dias. Os esforços anteriores para investigar o que o Pentágono chama de “fenômenos aéreos não identificados” foram liderados pela Marinha dos EUA, já que muitos dos encontros documentados envolveram suas aeronaves.

O Departamento de Defesa não respondeu a um pedido de entrevista para esta reportagem.

Congressistas e funcionários do Pentágono há muito expressam preocupação com o aparecimento de aeronaves não identificadas que sobrevoaram bases militares dos EUA, representando um risco para os jatos. Não há consenso sobre a origem delas. Alguns acreditam que os OVNIs podem ser drones operados por adversários em terra que buscam reunir informações secretas – e não por seres extraterrestres.

O Comitê de Inteligência do Senado votou em junho para que o Pentágono e os serviços de inteligência fornecessem uma análise pública dos encontros, logo após a divulgação, pelo Pentágono, de três vídeos curtos mostrando aeronaves norte-americanas encontrando esses objetos.

“Temos algo sobrevoando nossas bases militares e locais onde estamos realizando exercícios militares, e não sabemos o que é e não é nosso, portanto esse é uma pergunta legítima que devemos nos fazer”, afirmou o presidente do comitê, o senador Marco Rubio, a uma estação de notícias local de Miami, WFOR-TV, em julho.

“Honestamente, se for algo de fora deste planeta, isso pode ser até melhor do que algum tipo de salto tecnológico por parte dos chineses ou russos ou de algum outro adversário”, acrescentou.


Vídeos reabriram debate

Os vídeos divulgados pelo Pentágono parecem mostrar objetos voadores não identificados se movendo rapidamente, gravados por câmeras infravermelhas. Dois dos vídeos mostram militares reagindo com admiração pela rapidez com que os objetos se movem. Uma voz especula que poderia ser um drone. Em abril, o presidente Donald Trump chamou a filmagem de “um baita de um vídeo” e disse à Reuters que se perguntou “se ele é real”.

Em maio, a CNN obteve “relatórios de perigo” detalhando encontros entre aeronaves da Marinha dos EUA e “fenômenos aéreos não identificados” no Centro de Segurança da Marinha.

“A aeronave desconhecida parecia ser pequena em tamanho, aproximadamente do tamanho de uma mala e na cor prata”, disse um relatório que descreve um incidente ocorrido em 26 de março de 2014.

Os relatórios descrevem os fenômenos observados como “Sistemas Aéreos Não Tripulados (UAS, na sigla em inglês)” - a terminologia oficial do Pentágono para drones.

Os vídeos da Marinha foram divulgados pela primeira vez entre dezembro de 2017 e março de 2018 pela To The Stars Academy of Arts & Sciences, uma empresa co-fundada pelo ex-músico do Blink-182 Tom DeLonge, que estuda informações sobre fenômenos aéreos não identificados.

O Pentágono tinha gravações previamente estudadas de encontros aéreos com objetos desconhecidos como parte de um programa sigiloso criado a pedido do ex-senador Harry Reid, de Nevada. O tal programa foi lançado em 2007 e encerrado em 2012, segundo o Pentágono, porque avaliou-se à época que havia prioridades maiores necessitando de financiamento. O ex-chefe do programa, Luis Elizondo, disse à CNN em 2017, que pessoalmente acredita "há evidências muito convincentes de que podemos não estar sozinhos".

Fonte: CNN Brasil (Michael Conte)

quarta-feira, 29 de julho de 2020

UFOLOGIA COM GEVAERD - 30/07/2020 - 20:00


quinta-feira, 2 de julho de 2020

Luz registrada em vídeo no Litoral Norte é um óvni, afirmam ufólogos.


Matéria completa no CLICRBS.


quinta-feira, 18 de junho de 2020

Vem ai a IX Semana Ufológica....

Realização: GAIDU